Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Entre ser e estar

Entre ser e estar

Escuridão

Já me têm perguntado porque tão frequentemente escrevo de forma deveras negra.

Faço-o porque essa escuridão habita em mim, qual pássaro em gaiola.

Se não a liberto, o grito da ave toma conta dos meus pensamentos e não me deixa ouvir os sons do meu restante eu.

Solto toda esta escuridão, para que ela não me devore, e para me permitir manter a clareza de raciocínio, o sorriso e a minha (pseudo)serenidade.

Escrever negruras não é algo que deva apoquentar. Preocupante é quando elas ficam silenciosas, devoradoras, afogando-me em pessimismos maiores que a realidade.

Escrever negruras é curar.

A solidão, combato-a com um bom livro, uma quente companhia ou um suave vinho tinto; Ao negrume respondo com o calor de palavras negras depositadas sobre o fundo branco de uma página vazia.

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D